O enigma do mal: A persistência do mal e a (im)pertinência das teodiceias

Dia 04 de maio no Auditório Isidro Alves teremos Andreas Lind, SJ, Andrés Torres Queiruga, Bento Domingues, OP, Bruno Nobre, SJ e João Manuel Duque num evento que tratará o tema Deus e o enigma do mal: A persistência do mal e a (im)pertinência das teodiceias.

Não falte, entre as 9h00 e as 17h30.

A questão do mal constitui um dos maiores desafios que a filosofia e a teologia têm enfrentado ao longo da história do pensamento ocidental. Diante da realidade do mal, o argumento atribuído a Epicuro parece tornar ininteligível a conceção de um Deus simultaneamente bom e omnipotente.

Tema marcante para os pensadores modernos, a reflexão sobre o problema do mal torna-se inevitável em pleno século XX, especialmente diante do escândalo da Shoah, onde o mal se apresenta como radical, efetivo, excessivo e inimaginável. Não obstante a imensa produção filosófica e teológica sobre o tema, o enigma do mal continua a inquietar e a suscitar novas perspetivas.

 Propomos, neste contexto, uma jornada de estudos dedicada à questão do mal, com o intuito de revisitar as respostas clássicas ao problema do mal e perspetivar novas abordagens a partir da filosofia e da teologia contemporâneas.